Receiving / Perceiving English Literature

assinatura_email

RECEIVING │ PERCEIVING WILLIAM BLAKE

The different forms of receiving a literary text reveal as much about the time and place of that reception as about those of its creation, or more, and the reason is that, according to Rivkin and Ryan (2004), “all knowledge is interpretation, a transfer of meaning from one moment of history into another that always inflects what is known with the categories and assumptions of the later moment” (129). At present, with the digital instruments at our disposal, new radical forms of creation and communication 1 have been emerging, a fact that will also be discussed during this transdisciplinary meeting 2 on William Blake, 2 the poet, engraver, painter and man of commerce,4 who may also have been a musician, whose composite art continues to potentiate different forms of reception materialised in various visual 5 and auditory 6 adaptations.

And why not dare to adapt him, based on the title page of The Marriage of Heaven and Hell, copy H, involving all kinds of perception in a deliciously unstable equilibrium? 7 8 9

mhh-h-p1-100

William Blake, The Marriage of Heaven and Hell, copy H, object 1, 1790. Fitzwilliam Museum.
The William Blake Archive > Works in the Archive

Literature│Visual Arts│Music│Science│Gastronomy│Cinema│Old and Rare Books and EngravingsDigital Humanities

RECEPÇÃO │ PERCEPÇÃO WILLIAM BLAKE

As diferentes formas de receber um texto literário revelam tanto sobre o tempo e o lugar daquela recepção quanto sobre os da sua criação, ou mais, e isto porque segundo Rivkin e Ryan (2004), «todo o conhecimento é interpretação, uma transferência de significado de um momento da história para outro que inflecte sempre o que é conhecido mediante as categorias e as presunções do momento posterior» (129). Actualmente, com os novos instrumentos digitais à nossa disposição, têm estado a emergir novas formas radicais de criação e comunicação,1 um facto que será também discutido durante o encontro transdisciplinar 2 sobre William Blake,3 o poeta, gravador e pintor e homem do comércio 4 que terá sido ainda músico, cuja arte compósita continua a potenciar diferentes formas da sua recepção, materialisadas em várias adaptações visuais 5 e/ou auditivas. 6

E, baseados na página de título de The Marriage of Heaven and Hell, exemplar H, por que não ousar adaptá-lo também envolvendo todos os tipos de percepção, num equilíbrio deliciosamente instável?  7 8 9

Literatura│Artes Visuais│Música│Ciência│Gastronomia│Cinema│Livros e Gravuras Antigos│Humanidades Digitais

Alcinda Pinheiro de Sousa
ULICES – School of Arts and Humanities│University of Lisbon
CEAUL – Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

 

Advertisements